Tenha a app minube
Veja tudo melhor e mais rápido
Download
Aonde queres ir?
Entrar com Google +
Recomendar um lugar
Gostas de Parque Nacional Galápagos ?
Partilha com todo mundo
Aonde queres ir?

Parque Nacional Galápagos

info
guardar
Guardado

35 opiniões sobre Parque Nacional Galápagos

3
Ver fotos de jairo962
3 fotos

As galápagos são um lugar fascinante ...

As Galápagos são um lugar fascinante e alucinante. O único lugar no mundo onde podes encontrar tantas espécies diferentes de animais num lugar tão pequeno... É maravilhoso poder estar ao lado das grandiosas tartarugas das galápagos.
jairo962
5
Ver fotos de Giuliasaurus Rex
5 fotos

Fragatas magníficas, azul pés peitos e iguanas de terra

Seymour Norte é uma pequena ilha situada perto da ilha de Baltra, uma pequena ilha vulcânica não muito longe de Santa Cruz. A vegetação é baixa, mas esta é a ilha ideal para aqueles que querem ver iguanas terrestres, que são caracterizadas por amarelo brilhante, belas fragatas magníficas e atobás azuis pé. Tal como acontece com a maioria das ilhas de Galápagos, a ilha que você pode visitar, se você participar de um cruzeiro ou um passeio que começa apenas alguns dias por semana, de Santa Cruz. O custo para a turnê, que inclui a ilha e snorkeling com tubarões a uma distância curta começa em US $ 120 por pessoa, o custo inclui almoço no barco e guia da natureza licenciado. Os passeios começam às 8 horas e retorno é geralmente marcada para 16. Não importa quão pequena ilha é uma das mais belas de Galápagos, dadas as características particulares dos animais, particularmente as fragatas, que não podem reunir-se nas outras ilhas. Afigura-se que também aqui existe a maior concentração de pé boobie Azul, estes animais caracterizado por as patas arquipélago, azul típico.

Fregate magnifiche, blue feet boobies e iguana di terra

Nord Seymour è una piccola isola collocata vicino l’isola Baltra, una piccola isola vulcanica a poca distanza da Santa Cruz. La vegetazione è poca ma questa è l’isola ideale per chi vuole vedere iguane di terra, caratterizzate dal colore giallo brillante, le splendide fregate magnifiche e blue feet boobies.
Come per la maggior parte delle isole delle Galapagos questa isola si può visitare se si prende parte a una crociera o con un tour giornaliero che parte solo alcuni giorni a settimana da Santa Cruz.
Il costo per il tour che include questa isola e snorkeling con gli squali a poca distanza parte da $120 a persona, il costo include pranzo in barca e guida naturalistica autorizzata.
I tours partono alle 8 del mattino e il ritorno generalmente è previsto per le 16.
Per quanto piccola questa isola è una delle più belle delle Galapagos vista la particolarità degli animali, in particolare le fregate, che non si possono incontrare in altre isole.
Pare che qui inoltre ci sia la più alta concentrazione di Blue feet boobie, questi animali caratterizzati da zampe blue, tipici dell’arcipelago.
Giuliasaurus Rex
Traduzir
Ver original
27
Ver fotos de Joanjo Fontanet
27 fotos

O sonho de darwin

As Ilhas Galápagos, oficialmente chamado Arquipélago de Colón, pertencente à República do Equador, localizada no Oceano Pacífico, a cerca de 1.000 km do continente. Eles são famosos por sua riqueza biológica, e por ser um dos lugares onde Charles Darwin desenvolveu sua teoria da evolução. Além disso é um excelente lugar para ver as tartarugas gigantes em seu habitat natural, e um ótimo lugar para mergulhar e nadar com tubarões.

El sueño de darwin

Las islas Galápagos, oficialmente llamadas Archipiélago de Colón, pertenecen a la República del Ecuador, y ubicadas en el océano Pacífico, a casi 1.000 km del continente.
Son famosas por su riqueza biológica, y por ser uno de los lugares donde Charles Darwin elaboró su teoría de la evolución.
Aparte de esto es un lugar inmejorable para ver las tortugas gigantes en su hábitat natural, y un lugar espléndido para hacer submarinismo y poder nadar entre tiburones.
Joanjo Fontanet
Traduzir
Ver original
29
Ver fotos de JL Fav
29 fotos

Casal fascinante

valeu a viagem só para ver este par de fragatas em seu rastro. Zangão em uma flor do cacto, a polinização fazendo seu trabalho. Iguanas terrestres, iguanas marinhas e aves que estudo tentilhões de Darwin habitat neste pernas Azul Piqueros. Manguezais. Fauna marinha, como leões-marinhos. Lobitos enfermagem. Ilhotas. Pelicanos. Megatortugas Galápagos.

Fascinante pareja

valió la pena el viaje solo para ver esta pareja de fragatas en su nido.
Abejorro en una flor de cactus, haciendo su trabajo de polinizacion.
Iguanas terrestres, iguanas marinas
pajaros como los Pinzones que estudio Darwin en dicho hábitat
Piqueros patas Azules. Manglares.
Fauna marina como los lobos marinos. Lobitos mamando.
Islotes. Pelicanos. Megatortugas Galapagos.
JL Fav
Traduzir
Ver original
Ler mais 10
Publicar
5
Ver fotos de Joan Ashwell
5 fotos

Ilhas galápagos

Galápagos é espetacular, tudo o que dizem é verdade as ilhas encantadas. É um lugar mágico, onde você pode viver em comunhão com o meio ambiente e aprender sobre as espécies surpreendentes. Muestros Aqui estão alguns dos muitos animais que podem se encontrar, se você visitar Galápagos e algumas outras coisas.

Islas galápagos

Galápagos es espectacular, todo lo que dicen de las islas encantadas es verdad. Es un lugar mágico, donde puedes vivir en comunión con el medio ambiente y conocer de cerca especies increíbles. Aquí les muestros algunos de los muchos animales que puedes conocer si visitas Galápagos y algunas cosas más.
Joan Ashwell
Traduzir
Ver original
29
Ver fotos de Rodamons
29 fotos

Um paraíso

De vez em Guayaquil (Equador) tomou o vôo para Galápagos por AEROGAL Company. No aeroporto você passa um controle completo, não é permitido trazer qualquer alimento ou sementes e plantas, a fim de proteger as ilhas de contaminação. Ele nos contou sobre os abusos do passado, tendo até mesmo restringir o acesso ao arquipélago autorizando apenas um certo número de visitantes por ano, que teve que requerer a inscrição com bom tempo. Agora é estabelecida uma taxa de inscrição de US $ 100 que são cobrados na chegada, isso já, junto com a 350 dólares que custa o vôo, é um alimentador de filtro para evitar visitantes de massa. A taxa indo para a conservação do Parque Nacional de Galápagos, um paraíso natural e único no mundo, deve ser super protegida. Todas as viagens devem ser acompanhados por guias oficiais que são especificamente treinados. Graças a todas as tentativas consiguir as ilhas são preservados e não degradados. O tempo de voo é 1:45 minutos do Aeroporto de Guayaquil está localizado na ilha de Baltra e é pequeno, uma construção de madeira simples. A transferência do aeroporto para o cais, onde você toma barcaças para a transferência para a Ilha Santa Cruz do aeroporto é através de um autocarro. Ilha de Santa Cruz, embora não a maior, é a que tem a maior população e que abriga a maioria dos serviços, hotéis, agências de viagens, passeios do arquipélago, etc. Embora você também pode acessar via Galápagos San Cristobal Island, uma das mais freqüentadas pelas companhias aéreas é a Baltra Para transferir a partir do cais de Puerto Ayora, a capital de Santa Cruz tem que tomar um ônibus ou Enquanto um táxi, são muito abundantes. No movimento inverte uma hora. Em Santa Cruz teve uma agradável sensação de tranquilidade, os habitantes da ilha são muito simpáticos e hospitaleiros, a segurança na ilha está cheia. As duas maneiras de visitar as Ilhas Galápagos são, ou ter arranjado previamente um cruzeiro ou colocá-lo em um hotel em Puerto Ayora. Os navios de cruzeiro costumam fazer hotel e todos os dias em sua rota visitar uma ou duas ilhas. Nós escolhemos a opção de ficar em um hotel em Puerto Ayora e todos os dias visitar uma ilha, ele nos deu mais liberdade e evitamos a camisa de força de estar em um cruzeiro. As Ilhas Galápagos composto por 12 ilhas principais, Santa Cruz, Isabela, Fernandina Island, James Island, Ilha Bartolomé, Floreana, San Cristóbal, Ilhas genoveses, Isla Marchena, Pinta Island, Plazas Island e Isla Santa Fe é quase impossível visitar menos que você passar várias semanas. Dedicamos uma semana e visitou a oferta mais atraente e mais acessível a partir de Santa Cruz, desde a visitar as ilhas de Isabela e Fernandina você tem que voltar para Baltra estrada cruzando a ilha. Nós visitamos a Ilha Plazas, James Island, Bartolome Island e Isla Floreana. Neste paraíso natural em que os animais circulam livremente mundo, ruas e calçadas cheias de iguanas, leões marinhos, pelicanos, lagartos, pássaros vêm mesmo para dizer Olá. Abundam chamado famosos tentilhões de Darwin. Não é permitido tocarl ou dar comida para qualquer animal. É certo que o calor é sufocante por isso tem que estar bem equipado e dotado de água com a mão. A unidade mais importante de Santa Cruz é a Estação de Pesquisa Charles Darwin, é uma fundação internacional que emprega uma centena de cientistas naturalistas e biólogos. No Museu Station está localizado em um Informativo onde gráfico mostra a evolução das espécies, passarinhos, tartarugas, com suas conchas de diferentes maneiras, por isso dependendo do seu progresso em cada uma das diferentes ilhas de habitat. Fora que você pode ver as espécies distinntas. Fomos capazes de cumprimentar o "Lonesome George" única família Chelonoides espécime. Infelizmente Lonesome George morreu em 2012, sem ser capaz de deixar descendentes. Sua casca tem a forma de uma sela ou anteriormente "galope". Foi uma abundância destas tartarugas que o espanhol renomeados estas ilhas como "tartarugas" antes de Colombo Ilhas foram chamados. No exterior também incluem várias instalações, incubadoras, birdhouses, laboratórios, etc. Este gabinete dentro de um gabinete que é um jardim botânico formidável. A visita à Estação de Pesquisa Charles Darwin tem que gastar um dia inteiro. Santa Cruz oferece outras atrações: os gêmeos. Estas são duas grandes crateras formadas por afundando no chão, tartarugas gigantes Reserve El Chato, ninfas Lagoa, Playa Punta Estrada e, especialmente, o Turtle Bay Beach, onde uma colônia de iguanas marinhas, leões-marinhos e tubarões. Praças Ilhas, o mais próximo a Santa Cruz. Estas duas ilhas, eles destacam as falésias que habitam uma grande variedade de aves marinhas. Para os entusiastas da botânica, há uma interessante floresta cacto endêmica. Bartolome Island, inteiramente vulcânica. Do Sullivan Bay é um caminho formado por passarelas de madeira que serpenteiam o seu caminho até ao topo de onde se pode apreciar a vista espetacular. O cruzeiro em um catamarã feita a partir de Santa Cruz, o passeio é espetacular. Ilha Floreana. No cais de Playa Prieta tem que ter um transporte pouco convencional, um trator-reboque em que os lugares estão habilitados, através deste transporte está se movendo para o centro da ilha, que é onde você vai encontrar o mais atraente, asilo de La Paz, onde os aborígenes viviam os primeiros habitantes das ilhas. O percurso é espetacular, vegetação exuberante, grandes colônias de tartarugas liberadas. Seymour, esta ilha está muito perto de Bartra, onde o aeroporto. É desabitada e nele você pode ver uma pista que é utilizada durante a Segunda Guerra Mundial. Proliferar endêmicas Otárias Galápagos lagartixas de lava e cobras de Galápagos. Por sua abundante vida marinha é frequentemente visitado por biólogos marinhos. A Ilha de Santiago, também chamado de San Salvador. Apesar de todo o arquipélago de Galápagos é de origem vulcânica na ilha de Santiago é o maior expoente. A ilha é dominada por grandes e numerosos pequenos vulcões vulcão cônico é visitado por vulcanólogos e estudiosos. A fauna é muito rica, como em todas as ilhas, iguanas, leões-marinhos, focas também, mas principalmente grandes colônias de falcões. Ao registar-se neste umidade ilha é vegetação muito alta selva.' http://www.rodamons.net'

Un paraiso

Una vez en Guayaquil (Ecuador) cogimos el vuelo hacia Galápagos por la Compañía AEROGAL. En el mismo aeropuerto se pasa un control exhaustivo, no se permite llevar ningún tipo de alimentos o semillas y plantas al objeto de salvaguardar las islas de cualquier contaminación.
Se nos comentó de los abusos de antaño habiendo llegando incluso a restringir el acceso al archipiélago autorizando solo un número determinado de visitantes por año, para ello había que solicitar la entrada con debida antelación.
Actualmente se ha establecido una tasa de entrada de 100 $ que son cobrados a la llegada, ello ya de por sí, junto con los 350 $ que cuesta el vuelo, constituye un filtro dosificador para evitar visitas multitudinarias. La Tasa va destinada a la conservación del Parque Nacional de Las Galápagos, paraíso natural y único en el mundo, por ello debe estar súper protegido. Todas las excursiones tienen que ir acompañadas por guías oficiales que reciben una formación específica. Gracias a todo ello se intenta consiguir que las Islas se conserven y no se degraden.
La duración del vuelo es de 1:45 minutos desde Guayaquil
El aeropuerto está situado en la Isla de Baltra y es pequeño, una sencilla construcción de madera. El traslado del aeropuerto hasta el embarcadero donde se toman unas barcazas para el traslado a la Isla Santa Cruz se hace desde el aeropuerto por medio de unos autobuses lanzadera.
La Isla Santa Cruz, aunque no sea la mayor, sí es la que tiene mayor población y donde se ubican la mayoría de servicios, hoteles, agencias de viaje, excursiones por el archipiélago, etc. Aunque también se puede acceder a Las Galápagos a través de la Isla San Cristóbal, la más frecuentada por las compañías aéreas es la de Baltra
Para el traslado desde el embarcadero hasta Puerto Ayora,la capital de Santa Cruz se tiene que coger un autobús municipal o bien un taxi, éstos son muy abundantes. En el traslado se invierte una hora.
Llegados a Santa Cruz tuvimos una agradable sensación de tranquilidad, los isleños son sumamente agradables y hospitalarios, la seguridad en la Isla es total.
Las dos formas para visitar Galápagos son, o bien tener concertado previamente un crucero o situarte en un hotel en Puerto Ayora. Los cruceros hacen a las veces de hotel y cada día en su recorrido visitan una o dos islas. Nosotros escogimos la opción de quedarnos en un hotel en Puerto Ayora y cada día visitábamos una isla, ello nos daba mayor libertad y evitábamos el encorsetamiento de estar en un crucero.
Las Galápagos están formadas por 12 islas mayores, Santa Cruz, La Isabela, Isla Fernandina, Isla Santiago, Isla Bartolomé, Isla Floreana, San Cristóbal, Islas Genovesas, Isla Marchena, Isla Pinta, Islas Plazas e Isla Santa Fe. Es casi imposible visitarlas todas a menos que se dedique varias semanas. Nosotros le dedicamos una semana y pudimos visitar las que ofrecían un mayor atractivo y ser más accesibles desde Santa Cruz, puesto que para visitar las Islas de La Isabela y Fernandina hay que trasladarse de nuevo a Baltra cruzando por carretera toda la isla.
Pudimos visitar las Isla Plazas, Isla Santiago, Isla Bartolomé e Isla Floreana.
En este paraíso natural único en el mundo los animales campan a sus anchas con entera libertad, calles y aceras repletas de iguanas, leones marinos, pelícanos, lagartos, incluso las aves se acercan a saludar. Abundan los célebres pinzones llamados de Darwin. No está permitido tocarl ni dar comida a ningún animal. Hay que reconocer que el calor es sofocante por lo que se tiene que ir bien equipado y siempre con agua a mano.
La instalación más importante de Santa Cruz es la Estación Científica Charles Darwin, es una fundación internacional en la que trabajan un centenar de científicos naturalistas y biólogos. En la Estación se encuentra el Museo Informativo donde de una manera grafica se muestra la evolución de las especies, pinzones, tortugas con sus distintas formas en sus caparazones, ello dependiendo de su evolución en cada una de las islas con diferente hábitat. En el exterior se pueden observar las distinntas especies. Pudimos saludar al “Solitario George” espécimen único de la familia Chelonoides. Lamentablemente el Solitario George murió en 2012 sin haber podido dejar descendencia. Su caparazón tiene la forma de una silla de montar o antiguamente “galopar”. Era tanta la abundancia de estas tortugas que los españoles rebautizaron estas islas como “galápagos”, antes se las llamaba Islas Colón.
También en el exterior se encuentran varias instalaciones, incubadoras, pajareras, laboratorios, etc. Todo ello cercado dentro de un recinto que constituye un formidable jardín botánico. La visita a la Estación Científica Charles Darwin hay que dedicarle un día entero.

Santa Cruz ofrece también otros atractivos: Los Gemelos. Se trata de dos grandes cráteres formados al hundirse el suelo; Reserva de Tortugas Gigantes El Chato, Laguna de Las Ninfas, Playa Punta Estrada y sobre todo la Playa de Tortuga Bay en donde habita una colonia de iguanas marinas, leones marinos y tiburones.

Islas Plazas, las más cercanas a Santa Cruz. Se trata de dos islas, en ellas destacaría los acantilados en ellos habitan gran variedad de aves marinas. Para los aficionados a la botánica existe un interesante bosque de nopales endémicos.

Isla Bartolomé, completamente volcánica. Desde la Bahía Sullivan hay una sendero formado por pasarelas de madera que suben serpenteando hasta la cima desde donde se pueden contemplar espectaculares vistas. La travesía se hace en un catamarán desde Santa Cruz, el trayecto es espectacular.

Isla Floreana. Al llegar al embarcadero de Playa Prieta hay que coger un transporte un tanto singular, un tractor con remolque donde están habilitados unos asientos, por medio de este transporte se hace el traslado al centro de la isla que es en donde se encuentra el mayor atractivo, el Asilo de La Paz, lugar donde habitaron los aborígenes primeros habitantes de las islas. El recorrido es espectacular, frondosa vegetación, colonias de grandes tortugas en libertad.

Seymour, esta isla está muy cerca de Bartra, donde el aeropuerto. Está deshabitada y en ella se puede ver unas pistas de aterrizaje empleadas durante la Segunda Guerra. Proliferan los osos marinos endémicos de Las Galápagos, lagartijas de lava y serpientes de Galápagos. Por su abundante fauna marina es muy visitadas por biólogos marinos.

La Isla de Santiago, también llamada San Salvador. Aunque todo el Archipiélago de Las Galápagos es de origen volcánico en la Isla Santiago está el mayor exponente. La Isla está presidida por un gran volcán cónico y numerosos pequeños volcanes es muy visitada por vulcanólogos y estudiosos del tema. Su fauna es muy rica, como en todas las islas, iguanas, lobos marinos, también focas peleteras pero sobre todo grandes colonias de halcones. Al registrarse en esta isla una humedad muy elevada su vegetación es selvática. ' http://www.rodamons.net'
Rodamons
Traduzir
Ver original
3
Ver fotos de Pamela Belen Tipan Fraga
3 fotos
Pamela Belen Tipan Fraga
Traduzir
Ver original

Iate de luxo pinta

Eu estava na bela Ilhas Galápagos, um sonho ... Foi-me oferecido o barco La Pinta, escolha requintado. levá-la para o Equador Verde Viagens e jovem Carlos Giggly recomendado me este barco só acomoda 40 pasajeros.desde para chegar ao aeroporto de Quito tinha me Contador documentoselel da área de linha, tomou a minha mala, eu tenho magneto para a camisa e início Baltra aventura .... chegamos ao ponto onde esperamos guias. Todos EXCELENTE !! a bela Pinta foram recebidos com bebidas, o quarto espaçoso, comida deliciosa, funcionários atenciosos e pronto barco acomplacerlos gostos mais exigentes, uma experiência que Deus de volta por meio de fazer, mas uma outra rota. atividades diárias bem coordenada e organizada, snorkerling, canoagem, visitas às ilhas, barco a mobilização para as ilhas em forte jangada Panga com capacidade para 15 pessoas .ALTAMENTE recomendadas se você quiser um período de férias original, um pouco caro, mas é uma questão de procurar Carlos baja.Gracias temporada por sua amabilidade e cortesia e encontrar as melhores taxas, especialmente suas respostas rápidas. Isso é excelente trabalho e saber o que é comercializado.

De lujo la pinta yacht

Estuve en las bellas Islas de Galapagos,todo un sueno... me ofrecieron el Barco LA Pinta,exquisita elección. la tome por Ecuador Green Travel y el joven Carlos Risueno me recomendo este barco que solo aloja 40 pasajeros.desde que llegue a Quito aeropuerto me tenian los documentoselel Counter de la línea aérea, tomaron mi maleta ,me dieron magneto para la camisa y a comenzar la aventura.... llegamos a Baltra donde nos esperaban los guias puntuales. Todo EXCELENTE!! la Pinta hermoso nos recibieron con unas bebidas, la habitación espaciosa, comidas deliciosas,personal de Barco atento y presto acomplacerlos mas exigentes gustos ,una experiencia que vuelvo Dios mediante a realizar ,pero otra ruta. las actividades diarias muy bien coordinadas y organizadas, snorkerling , kayak ,visitas a los islotes ,movilización de barco a las islas en Panga una balsa fuerte con capacidad para 15 personas .ALTAMENTE RECOMENDABLE si quieres unas vacaciones unicas,un poco costoso pero es cuestión de buscar temporada baja.Gracias Carlos por tu amabilidad y cortesía y buscar las mejores tarifas ,sobre todo tus rapidas respuestas. Eso es trabajo de excelencia y saber lo que se mercadea.
Astrid Ramón
Traduzir
Ver original
1
Ver fotos de Clara Soto
1 foto

Paraíso terrestre ... céu na terra .....

Paraíso terrestre ... Céu na Terra ... Esta ponte pequenio termina em que a água quente e clara perfeito habitado por leões de saltar para esepran gua a desempenhar o seu favorito ... Quando um banco de peixinho, turquesa, fuccia e todos os que cercam cores do arco-íris tér formando um mundo subaquático novas.

Paraíso terrenal... El cielo en la tierra... Este pequeño puente termina en aquella calida y perfecta agua cristalina habitada por lobos marinos que esperan a que saltes al gua con ellos para jugar en su lugar favorito... Donde un banco de peces dorados, turquesa, fuccia y todos los colores del arcoiris ter rodean formando un mundo nuevo debajo del agua.
Clara Soto
Traduzir
Ver original
5
Ver fotos de nando2000
5 fotos

Galápagos é um fascinante, incrível. ...

Galápagos é um fascinante, incrível. O único lugar no mundo onde você pode encontrar muitas espécies diferentes de animais em um lugar tão pequeno .... É maravilhoso estar ao lado dos grandes tartarugas de Galápagos.

Galápagos es un lugar fascinante, alucinante. El único lugar en el mundo en donde puedes encontrar tantas especies de animales distintas en tan pequeño lugar.... Es maravilloso poder estar al lado de las grandiosas tortugas galápagos.
nando2000
Traduzir
Ver original
6
Ver fotos de carolina astrada
6 fotos

Basta o céu na terra. incrível divers...

Basta o céu na terra. Incrível diversidade na paisagem, os ilhéus cuidar a vida animal mais do que a sua própria. Não deixe de passar pelo restaurante The Rock na Ilha Santa Cruz. Não deixe este planeta sem necessidade de Galápagos.

Sencillamente, el paraíso en la tierra. Increíble la diversidad en el paisaje, los isleños cuidan la vida de los animales mas que la propia. No dejes de pasar por el restaurante The Rock en Isla Santa Cruz. No te vayas de este planeta sin pasar por Galapagos.
carolina astrada
Traduzir
Ver original
9
Ver fotos de Diego Gordon
9 fotos

Incrível vida selvagem - san cristobal, galápagos, equador

O lugar perfeito para estar em contato com a natureza, com praias que lhe permitem nadar com os leões-marinhos brincalhões e lugar inquieto. Você pode observar tartarugas gigantes, iguanas, atobás de patas azuis, alguns incrível paisagem. Altamente recomendado.

Increíble fauna - san cristobal, galapagos, ecuador

El lugar perfecto para estar en contacto con la naturaleza, con playas que te permiten nadar junto con los inquietos y juguetones lobos marinos. Puedes observar tortugas gigantes, iguanas, piqueros de patas azules, unos paisajes increíbles. Muy recomendado.
Diego Gordon
Traduzir
Ver original
8
Ver fotos de David Gonzalez
8 fotos

Galapagos

Todos os animais de Galápagos ter um caráter difícil de descrever. É realmente como eles posar para fotos ainda nem percebem que estão lá. Evolução.

Galapagos

All the animals in Galapagos have a character difficult to describe. It really is like they pose for pictures yet don't even notice we are there. Evolution.
David Gonzalez
Traduzir
Ver original
9
Ver fotos de Jesse OC
9 fotos

Evoluindo em galápagos

Seiscentos milhas da costa equatoriana, no cruzamento das correntes oceânicas de Humboldt e Cromwell, ao longo do equador, fica o famoso arquipélago cuja diversificada variedade de flora e fauna mostrou conclusivamente a lógica imutável da mudança evolutiva ea resiliência imparável da própria vida . Desde tempos imemoriais, a ilha tem recebido visitantes de todas as variedades. Armado com suas câmeras e guias, a pele brilhando com loção bronzeado, ostentando grandes, óculos de aros pretos, eles desembarcar seus barcos de cruzeiro de luxo e hop em terra para Puerto Moreno, a maior cidade na Ilha San Cristobal. A viagem para as Ilhas Galápagos bate a carteira difícil ea maioria dos visitantes têm profundas-bolsos. Nós vê-los caminhar por San Cristobals ruas tranquilas tirando fotos dos enormes leões-marinhos de lingüiça cochilando nas praias. Seus filhos se maravilhar com os caranguejos vermelhos de lagosta-se agarrando furiosamente para os lados de pedras escorregadias recortados pela onda após onda. Em cima do muro, senta-se um pelicano confusos, bico saliente como Pinocchios balaclava, com vista para os caranguejos, possivelmente reunir a coragem de tomar uma mordida. Dardos A iguana escamosa em entre as rochas piscando sua língua. Abaixo, volta na praia, um filhote de cachorro do leão-marinho tropeçou longe de sua mãe e ela late um som horrível, morder. Os outros ficam ainda. O jovem pop não domina as nadadeiras em terra e ele nunca será. Ele bumbles seu caminho até a cerca que o separava os turistas e desliza através de uma abertura. As crianças gritam de alegria; flashes estourar em uníssono. O filhote de cachorro aparece na frente do grupo de clientes satisfeitos e olha para eles. Ele não mostra medo. Ele não sentir o perigo. Sua gordura enrugada brilha no sol; Seus bigodes inclinação em torno de seu rosto, que canta-se e estende-se ao redor. Sua mãe chegou a abrir-se e solta um grito horrível que obriga as crianças em bonés de beisebol e bermuda cor de rosa para cobrir seus ouvidos. O que a mãe sabe que o filhote não? Seus movimentos são ameaçadoras e desesperada. Uma criança chega ao toque os filhotes Glassy casaco antes de seu pai adverte-o rapidamente. Ele é retido. E, como o filhote silenciosamente está em conformidade com as suas mães mordida belicoso, testemunhamos a divisão. Formado pelo movimento das placas tectônicas e vulcanismo hot spot no Oceano Pacífico, o isolamento ilhas originalmente tornava vazia de vida vegetal e animal. Eventualmente, eles vieram: voo, natação, sementes empurradas pelos ventos, ou leões-marinhos-puxadas por correntes. Possibilidade guiada colonização. Que a vida apareceu nas Ilhas Galápagos foi um acidente maravilhoso. O grupo de passeio começa sua marcha para o museu-se um caminho pedregoso através do verde escuro, vegetação rolando. As tardes nuvens vêm e com eles umidade pesado. Deixo o meu grupo de voluntários e de cabeça para o outro lado do cais. Estamos voluntariado com uma ONG equatoriana organizar um acampamento de verão para as crianças da ilha. Corremos jogos de esportes, aulas de arte e aulas de inglês. Basicamente, certifique-se de que nenhuma criança vagueia no mar. Mais e mais famílias chamar a casa ilhas. Mais e mais pessoas vêm do continente em busca de uma diferente e uma vida mais tranqüila. A vida nas ilhas expeliu lava-floresceu de forma desequilibrada: no equilíbrio natural das espécies existe na ilha. Répteis anfíbios forjadas; aves terrestres e marítimas em desvantagem mamíferos terrestres; gramíneas e samambaias dominado plantas floridas grande-semeado. Só quem poderia ter cruzado essas 600 milhas de mar aberto chamado Galápagos casa. As crianças têm uma energia inesgotável. Os pequenina 5 ou 6 anos de idade tentativa de escapar da escola a qualquer momento; eles esperam até que nossas costas são transformar ou sempre que acontecer de você estar preocupado e até os portões eles voam. Essa exuberância! Praticamente frustrante, filosoficamente feitiço de ligação. É a semana do Carnaval e da emoção constrói a ponto de anarquia. Balões de água são jogados; tintas decorar roupas e paredes. Nenhum professor é poupada. O playground vibra como uma colméia; o movimento ainda é caótica hipnótico. Um ritmo está lá. Flashes de alegria, alegria pura ignorante, vêm em ondas. Ela flui sobre o solo e em seus olhos, seus olhos sinistros, impertinentes. Vazamentos de água e salpicos. Roupa está encharcado. Nós limpar nossos olhos e secar as nossas roupas. Humanitys no seu melhor como uma criança a brincar. O futuro não foi brilhante para as espécies pioneiras nas ilhas ásperas e estéreis. O que eles comem? Como eles se reproduzem? Muitas espécies de plantas e animais pereceram apenas para deixar seu material orgânico para a próxima onda de imigrantes. Este ciclo de vida e morte acontecendo em ilhas isoladas e únicas ao longo de milhões de anos, desde o laboratório ideal para julgar o que funcionou eo que falhou lá. Como é que essas criaturas sobreviver? Será que eles se adaptar? Como a vida funciona? Através das baías de águas calmas, a cidade parece jovem. Os prédios amarelos e vermelhos brilhantes concretas não se encaixam no fundo verde vibrante. Eles aparecem vulnerável a caprichos naturezas, fora de lugar. Não do solo. Uma lancha ancorada rochas suavemente perto da costa; um leão-marinho dorme no topo. Montes vulcânicos estão espalhados em todo o horizonte; as espessas nuvens rolar por eles. A cena inteira é sinistra: lava ou chuva? Como é estranho a olhar para o trabalho de mãos humanas, as estradas, as casas, as escolas, o aeroporto, o hospital nas ilhas que oferecem as melhores condições para compreender de onde brotou a humanidade. O que antes era recíproco tornou-se uma infracção. A cena é uma de traição. Em 1835, Charles Darwin chegou às ilhas. A diversidade da vida nas pequenas ilhas espantou e, eventualmente, o inspirou a escrever sua teoria da seleção natural, uma das maiores descobertas científicas. Darwin amou tentilhões. Ele observou pelo menos treze tipos diferentes de tentilhões que vivem nas ilhas todos os quais devem surgiram de um único ancestral ve chegou às ilhas milhões de anos. Cada passarinho respondeu às pressões ecológicas de cada ilha particular dieta - e adaptado em conformidade. Espécies em verdade não são estáticos. Eles mudar, transformar, adaptar: Evoluir. A partir desta visão original, Darwin viu que a concorrência entre as espécies mais recursos finitos é inevitável. Isto dispara uma mutação vantajoso dentro de uma espécie, que melhora as suas probabilidades de sobrevivência e reprodução sobre os outros. Aqueles que melhor se adapte ao seu ambiente vai sobreviver. Evolução motores de História Natural. Ouvimos histórias de pesca ilegal e de derrames de petróleo. As ilhas estão sob ameaça persistente. Over-Desenvolvimento. Poluição. Calamidades naturais. As pressões demográficas. Uma tarde eu ando para El Progresso, uma comunidade de algumas casas e lojas localizadas no interior montanhoso da ilha. As paisagens são um verde-escuro; colinas vulcânicas forçar a estrada rochosa em torno deles. Eu ando. Cercas com fios frágeis e postes telefônicos seguir o enrolamento em torno das florestas tropicais intactas estrada. Quando você pensa em Galápagos, você acha dos animais. Você não imagina isto: um mundo perdido. O solo rico em nutrientes pintou uma obra-prima: Eu ouço as pessoas dizendo que no futuro, como verde como o Galapagos. Até a estrada a poucos quilómetros é o santuário tartaruga. Centenas de anos de idade, estas criaturas majestosas viver lentamente. Apreciando suas conchas enormes e pernas grossas, eu me pergunto o que eles viram. Eu podia ler a história da ilha através de seus olhos? Será que eles sabem o seu futuro? Perto do final do acampamento, nós levar as crianças para uma praia não quinze minutos da cidade. Nós temo-los em linhas com professores que equipam as extremidades para detectar eventuais fugitivos. A praia combina quatro camadas de cores: o negro das rochas vulcânicas sentado em uma das extremidades da praia, a grama verde que corre a partir da água de volta para as montanhas, eo turquesa das ondas do mar quebrando nas areias brancura açucarado. O jogo de cores prende; suas prisões vibração e afixos. As crianças saem correndo para a água; que caminhar para fora até os joelhos para manter o controlo. A criança chora Lobos e com o frenesi de um rebanho da zebra sob ataque todos eles correm a partir da água. Lobo é um coloquialismo local para leão-marinho e as crianças não gostam da idéia de compartilhar uma tarde nadar com eles. Quando tudo parece seguro, eles cautelosamente reentrar acreditando nadadores tão frias que seria lento re-imersão melhor alivia desconforto. A interação é fascinante. O potencial é real. Nas ilhas onde primeiro entendido que a mudança é intrínseco à vida e somente os mortos permanecem imutáveis, uma simbiose gradual emerge. Uma coalizão baseada no respeito e medo mútuo, de temor e terror, evolui entre a humanidade ea natureza. Nós não são escritas em pedra. Nós não nascemos pré-programado. E talvez no lugar onde Darwin esmagado uma compreensão estática de vida e deu um novo dinamismo ao seu belíssimo complexidade, podemos aprender a conviver. E as casas deixará de olhar absurdo e os peixes vão ter tempo para voltar. É a arrogância da vida que diz que agora é para sempre. A mudança é a única constante. E se o relacionamento cresce forte no Galapagos, talvez o arquipélago pode servir como uma luz para não só o nosso passado colectivo, mas também nossos futuros colectivos.

Evolving on the galapagos

Six hundred miles from the Ecuadorian coast, at the intersection of the Humboldt and Cromwell ocean currents, along the equator, sits the famous archipelago whose diverse array of flora and fauna has conclusively shown the immutable logic of evolutionary change and the unstoppable resiliency of life itself.

From times immemorial, the island has welcomed visitors of all varieties. Armed with their cameras and guidebooks, skin glistening with sun-tanned lotion, sporting big, black rimmed glasses, they disembark their luxury cruise boats and hop onshore to Puerto Moreno, the largest town on Isla San Cristobal. Travel to the Galapagos Islands hits the wallet hard and most visitors have deep-pockets. We watch them walk through San Cristobal’s quiet streets snapping photos of the huge sausage-like sea-lions dozing on the beaches. Their children marvel at the lobster-red crabs clinging furiously to the sides of slippery boulders pummeled by wave after wave. On the fence, sits a bemused pelican, beak protruding like Pinocchio’s balaclava, overlooking the crabs, possibly mustering the courage to take a bite. A scaly iguana darts in between the rocks flashing his tongue.

Below, back on the beach, a sea-lion pup has stumbled away from his mother and she barks – a horrible, biting sound. The others stay still. The young pop has not mastered his flippers on land and he never will.

He bumbles his way to the fence separating him from the tourists and slithers through an opening. The children scream in delight; flashes burst in unison. The pup pops in front of the group of delighted guests and stares at them. He does not show fear. He does not sense danger. His wrinkled fat shines in the sun; his whiskers slope around his face which croons up and stretches around. His mother has reached the opening herself and lets loose a horrible cry that forces the young children in baseball caps and pink shorts to cover their ears. What does the mother know that the pup does not? Her movements are threatening and desperate. A child reaches to the touch the pup’s glassy coat before his father quickly admonishes him. He is held back. And as the pup silently complies with his mother’s bellicose bite, we bear witness to the divide.

Formed by the movement of tectonic plates and hot spot volcanism in the Pacific Ocean, the islands’ isolation originally rendered them empty of plant and animal life. Eventually, they came: flying, swimming, seeds pushed by winds, or sea-lions pulled by currents. Chance guided colonization. That life appeared on the Galapagos Islands was a wonderful accident.

The tour group begins their trudge to the museum up a stony pathway through the dark green, rolling vegetation. The afternoon’s clouds come and with them heavy humidity. I leave my group of volunteers and head to the other side of the pier. We are volunteering with an Ecuadorian NGO organizing a summer camp for the children of the island. We run sports games, art lessons and English classes. Basically we make sure that no child wanders off into the sea. More and more families call the islands home. More and more people come from the mainland searching for a different and a quieter life.

Life on the lava-spewed islands blossomed in an unbalanced fashion: no natural equilibrium of species exists on the island. Reptiles trumped amphibians; land and sea birds outnumbered land mammals; grasses and ferns dominated big-seeded flowery plants. Only those who could have crossed those 600 miles of open water called Galapagos home.

The children have endless energy. The littler ones – 5 or 6 years old – attempt to escape the school at any moment; they wait until our backs are turn or whenever we happen to be preoccupied and to the gates they fly. Such exuberance! Practically frustrating, philosophically spell-binding. It is Carnival week and the excitement builds to the point of anarchy. Water balloons are tossed; paints decorate clothing and walls. No teacher is spared. The playground buzzes like a beehive; the movement is chaotic yet hypnotic. A rhythm is there. Flashes of joy, pure ignorant joy, come in waves. It flows over the ground and into their eyes, their sinister, naughty eyes. Water spills and splashes. Clothing is soaked. We wipe our eyes and dry our clothes. Humanity’s at its best as a child at play.

The future was not bright for the pioneer species on the harsh and barren islands. What would they eat? How would they reproduce? Many plant and animal species did perish only to leave their organic material for the next wave of immigrants. This cycle of life and death happening on isolated and unique islands over millions of years provided the ideal laboratory to judge what worked and what failed there. How would these creatures survive? Would they adapt? How did life work?

Across the bay’s calm waters, the town looks young. The bright yellow and red concrete buildings do not fit the vibrant green background. They appear vulnerable to nature’s vagaries, out-of-place. Not of the soil. An anchored motorboat gently rocks close to the shore; a sea-lion sleeps on top. Volcanic mounds lie scattered across the horizon; the thick clouds roll past them. The entire scene is ominous: lava or rain? How odd it is to gaze at the work of human hands – the roads, the houses, the schools, the airport, the hospital – on the islands that provide the best conditions to understand from where humanity sprouted. What was once reciprocal has become an infringement. The scene is one of betrayal.

In 1835, Charles Darwin arrived to the islands. The diversity of life on the small islands amazed him and eventually inspired him to write his Theory of Natural Selection, one of the greatest scientific breakthroughs. Darwin loved finches. He noted at least thirteen different kinds of finches living on the islands all of which must have sprung from a single ancestor ve arrived to the islands millions of years ago. Each finch responded to the ecological pressures of each island – particularly diet - and adapted accordingly. Species in fact are not static. They change, mutate, adapt: Evolve. From this original insight, Darwin saw that competition between species over finite resources is inevitable. This triggers an advantageous mutation within a species which improves its odds of breeding and surviving over the others. Those best adapted to their environments will survive. Evolution motors natural history.

We hear stories of illegal fishing and of oil spills. The islands are under persistent threat. Over-Development. Pollution. Natural Calamities. Demographic Pressures. One afternoon I walk to El Progresso, a community of a few homes and shops located in the hilly interior of the island. The landscapes are a deep green; volcanic hills force the rocky road around them. I walk. Rickety wired fences and telephone poles follow the road winding around the pristine rainforests. When you think of the Galapagos, you think of the animals. You don’t envision this: a lost world. The nutrient rich ground has painted a masterpiece: I hear people saying in the future ‘as green as the Galapagos.’ Up the road a few kilometres is the tortoise sanctuary. Hundreds of years old, these majestic creatures live slowly. Appreciating their massive shells and thick legs, I wonder what they've seen. Could I read the island’s history through their eyes? Do they know its future?

Near the end of camp, we take the children to a beach not fifteen minutes from town. We have them in rows with teachers manning the ends to spot any fugitives. The beach mixes four layers of colors: the black of the volcanic rocks sitting at either end of the beach, the green grass running from the water back up into the hills, and the turquoise of the ocean waves crashing into the sand’s sugary whiteness. The interplay of colors holds; its vibrancy arrests and affixes. The children go screaming into the water; we wade out up to our knees to keep check.

A child cries “Lobos” and with the frenzy of a Zebra herd under attack they all rush from the water. Lobo is a local colloquialism for sea-lion and the children do not relish the idea of sharing an afternoon swim with them. When all appears safe, they gingerly re-enter believing as cold swimmers would that slow re-immersion best alleviates discomfort. The interaction is fascinating. The potential is real. On the islands where we first understood that change is intrinsic to life and only the dead remain immutable, a gradual symbiosis emerges. A coalition based on mutual respect and fear, of awe and terror, evolves between humanity and nature. We are not written in stone. We are not born pre-programmed. And perhaps in the place where Darwin crushed a static understanding of life and breathed a new dynamism into its gorgeous complexity, we can learn to coexist. And the houses will cease to look absurd and the fish will have time to return.

It is the arrogance of the living that says now is forever. Change is the one constant. And if the relationship grows strong on the Galapagos, perhaps the archipelago can serve as a light into not only our collective pasts but also our collective futures.
Jesse OC
Traduzir
Ver original
3
Ver fotos de Natty Diffi
3 fotos

Onde deus fez as suas experiências

É mágico para o seu ambiente natural, azul mergulho água, variedade de animais marinhos que não são encontrados juntos em qualquer lugar, praias, litorais e vistas por do sol nascer e pôr do sol ....

Donde dios hizo sus experimentos

Es mágico por su entorno natural, agua azul para bucear, variedad de animales marinos que no se encuentran en ningún lado todos juntos, playas, costas y vistas del sol....amanecer y atardecer
Natty Diffi
Traduzir
Ver original
Publicar
Ler mais 10

Informação Parque Nacional Galápagos

Contato de Parque Nacional Galápagos
052 526 289
052 526 289
Morada de Parque Nacional Galápagos
Charles Darwin s/n, EC200350, Ecuador
Charles Darwin s/n, EC200350, Ecuador
Ver mais