MINUBE
Continuar na app
Abrir
Aonde queres ir?
Gostas de Emílie-Romanha ?
Partilha com todo mundo
Entrar com Google +

Jardins em Emília-Romanha

20 jardins em Emílie-Romanha

Jardins en Bolonha
Parque Montagnola
(9)
A apenas 200 metros da estação de trem, encontramos algumas belas escadas de mármore com uma fonte de venus nos dando as boas-vindas. Na parte superior nos encontramos o parque que serve de descanso para os turitas e moradores que são de diferentes culturas e nacionalidades. Alguns dias encontramos mercadinhos e sempre a outra estatua está comemorando os acontecimentos nacionais de 8 de agosto. Si for visitar a cidade no verão e está cansado de olhar lojas e passear por ruas medievais, vem pra descansar um pouco aqui.
Jardins en Bolonha
(5)
Jardins en Reggio Emilia
(3)
Jardins en Modena
(3)
Jardins en Piacenza
Jardim das Margaridas
O Jardim das Margaridas fica em frente à estação Ferroviária de Piacenza. Está aberto das 07:30 às 18:30 h. De Outubro a Fevereiro e das 06:30 às 22:00 h. De Março a Setembro. É a mais central e maior área de lazer do centro da cidade, com cerca de vinte mil metros quadrados. Durante os dias mais quentes é um oásis aos passantes, com seus bancos à sombra das muitas espécies de árvores e do pequeno chafariz – que congela no Inverno. A área foi adquirida por um certo conde Giacomo Costa no século XIX, que morava muito próximo, em via Roma. Sob um projeto do cremonese Giovanni Motta, o terreno foi transformado em um jardim em estilo inglês, com percursos curvilíneos, pequenas grutas e templos, dos quais resta apenas um, fechado à visitação. Com a morte do conde em 1880, o parque, que já era aberto ao público, foi vendido à Prefeitura de Piacenza, que acabou sacrificando uma parte para construir uma praça em frente à estação ferroviária. Uma gruta, um pequeno templo e um obelisco, são o que restam do antigo parque, reformulado em 1893 para a construção da praça da estação, além de uma última reestruturação há coisa de quatro anos, quando o parque infantil existente foi transferido a um terreno de uma das ruas que circunda o parque. Hoje o parque é do povo – respeitando-se o horário – que cochila pelos bancos, passeia de bicicleta, toma sol ou aproveita o ambiente agradável para trocar juras de amor.
Jardins en Piacenza
Parque da Galleana - Parco della Galleana
Próximo ao estádio e, portanto, distante do centro histórico encontra-se o Parque da Galleana, que teria sido um depósito de munição do início do século XX e uma fábrica de pólvora, que pegou fogo em 1943. Poucas ruínas escondidas entre a vegetação do parque lembram esse passado. Hoje o parque, com seus cento e cinquenta mil metros quadrados, dos quais dois terços são de grama, é propriedade da Prefeitura de Piacenza e muito utilizado pela população. Em 2006 foi renomeado como “Parco Giovanni Paolo II, testimone di pace” (Parque João Paulo II, testemunha de paz), mas a população continua a chamá-lo com o nome antigo, apesar de nutrir grande simpatia pelo ex-papa. Muitos caminhos entre a vegetação, alguns dos quais podem ser percorridos em bicicleta, fazem do parque um local de relax e contato com a natureza. As mesas espalhadas pelo parque permitem pic-nic e são ocupadas desde cedo, nos fins de semana de calor. Há uma pista de boccia (aquele jogo com bolas pesadas sobre uma pista de terra - tipicamente italiano), um parque equipado para crianças, serviços higiênicos e bicas onde matar a sede. Próximo a um outro parque urbano, o Parco di Montecucco, o Galleana e o Montecucco fazem parte de um percurso de corrida rústica, que se inicia e se conclui no estádio de atletismo Pino Dordoni, em Valera, uma fração agrícola de Piacenza. Uma requalificação da zona no início dos anos 80 transformou a área abandonada em um parque, utilizado por numerosos projetos esportivos, como a corrida campestre, ciclismo e hipismo, para a observação das estrelas e da fauna local, tão rica quanto arisca a fotógrafos. Muitas são as festas ao seu interior, comícios e manifestações de todos os géneros. Mas o Parque da Galleana é do povo. Aquele povo que vem para apreciar a tranquilidade e vastidão do parque, deixar as crianças soltas e fazer pic-nic; andar de bicicleta, praticar uma atividade ao ar livre, ou simplesmente relaxar, dedicar-se ao ócio ou ler em tranquilidade. Enfim, um parque público apreciado pelos moradores. O parque abre todos os dias do ano. Em Dezembro e Janeiro, das 9:00 às 17:30 h. Em Fevereiro e Novembro, das 9:00 às 18:00 h. Em Março e Outubro, das 9:00 às 19:00 h. Em Abril, das 9:00 às 20:00 h. Em Maio e Setembro, das 8:00 às 20:00 h. Em Junho, das 8:00 às 21:00 h. Em Julho e Agosto, das 7:00 às 21:00 h.
Jardins en Piacenza
Jardim da Memória
27 de Janeiro é o “Dia da Memória”. Uma data para recordar o holocausto e para manter-nos alertas, evitando que erros como aquele não se repitam. Porque de erro se trata. Acreditar que uma raça possa ser superior a outra não é racismo, mas ignorância. Ignorância dos fatos históricos, da formação da espécie humana e de como a miscigenação contribui para o progresso biológico da humanidade. No dia 27 de Janeiro de 2005, inaugurou-se em Piacenza o “Jardim da Memória”. Está escrito na placa à entrada do jardim: “Dedicado às mulheres e aos homens do território piacentino deportados nos campos de concentração nazistas (1943 – 1945) 27 de Janeiro de 2005”. Achei muito correta a indicação de “mulheres e homens” e não apenas de “judeus”, como sempre acontece nessas ocasiões, pois, apesar de os judeus terem sido o maior grupo vítima das atrocidades da Segunda Guerra pelos nazistas, outros grupos étnicos também sofreram o mesmo destino. A verdade é que o jardim está lá, como marco da memória. Mas na minha opinião foi apenas um ato político. O jardim, na realidade, era a parte dos fundos inutilizada da Galleria d’Arte Ricci Oddi, por onde até hoje entram os carros dos funcionários da galeria, cujo estacionamento fica depois do jardim. Ao lado do jardim existe uma escola do nível elementar, que, por gentil concessão da galeria, usam-no como área recreativa nos dias quentes do ano. Do uso dos alunos ao acesso público foi um passo, com doação ao município e consequentes descontos nos impostos municipais. A galeria instalou alguns bancos, encomendou um monumento simbólico que instalou na entrada do jardim e entregou a área à prefeitura. A única concessão é o trânsito dos poucos veículos rumo ao estacionamento da galeria. Apesar dos poucos cuidados o jardim recebe visitas regularmente. São pessoas que moram nas imediações e aproveitam as sombras das árvores para descansar ou ler, sem ter que enfrentar o trânsito; são fumantes que, como eu, sentam-se ali a ouvir o rumor movimentado da Stradone Farnese e a algazarra da escola ao lado enquanto fumam um charuto em paz, sem incomodar ou serem incomodados; são visitantes que, cansados da longa caminhada pelas ruas do centro, encontram um local tranquilo para descansar, conversar ou meditar. É um pequeno jardim. Poderia ser mais bem cuidado. Não tem estátuas ou outros monumentos além do já citado, mas presta um serviço aos cidadãos que a administração pública desconhece. Abre de Outubro a Fevereiro das 7:30 às 18:30 h., e de Março a Setembro das 6:30 às 22:00 h.
Jardins en Bolonha
(1)
Jardins en Forlì
(2)
Jardins en Parma
(1)
Jardins en Parma
(3)
Jardins en Bolonha
Jardins en Forlì
Jardins en Bolonha
(1)
Jardins en Cervia
Jardins en Cervia
Jardins en Cervia
Jardins en Parma
Atividades em Emília-Romanha
GetYourGuide
(1)
339